Conheça os principais tipos de controle de acesso a ambientes

Tempo de leitura: 6 minutos

Arquitetos e engenheiros se deparam cada vez mais com um desafio: como incorporar mais segurança em seus projetos. Afinal, todos querem aproveitar os avanços tecnológicos e contar com dispositivos eficientes para maior proteção e privacidade, como o controle de acesso eletrônico.

Fato também é que o velho porteiro ou um cadeado reforçado, sozinhos, já não dão conta da crescente demanda por segurança em nosso cotidiano, seja em casa ou no trabalho.

Quer conhecer os principais tipos de controle de acesso eletrônico a ambientes, para oferecer segurança e paz a seus clientes? Então, não perca as informações que separamos especialmente para você!

Benefícios do controle de acesso eletrônico

Mais do que controlar o acesso de pessoas e veículos às empresas e residências, esse tipo de instalação permite gerenciar os locais de entrada e saída, tornando os ambientes mais seguros, privados e funcionais.

Esses dispositivos permitem a identificação de todos que pretendem ingressar no lugar. Dessa forma, é possível evitar a entrada de pessoas suspeitas ou não autorizadas.

Eles podem ainda monitorar a entrada e saída de funcionários e visitantes nos departamentos das empresas, beneficiando também a segurança interna da companhia.

O acesso controlado eletronicamente também é muito vantajoso para os condomínios. Isso porque, além de monitorar a portaria, é possível usar o sistema para gerenciar o trânsito das pessoas por todos os espaços. Assim, funcionários e visitantes circularão somente nos locais permitidos.

A utilização desses dispositivos também agiliza, por exemplo, a execução dos serviços realizados por empresas terceirizadas, já que libera a passagem dos colaboradores autorizados, sem burocracia.

A economia gerada pelo investimento nesses itens faz com que o custo-benefício da instalação seja garantido. Isso acontece porque a contratação de pessoal para segurança fica muito mais reduzida.

Sem falar que, ao utilizar a tecnologia a favor dos imóveis — sejam eles residenciais ou comerciais — diminui-se consideravelmente o risco de eventuais falhas humanas no sistema de acesso.

Como cada cliente tem necessidades específicas no quesito segurança e funcionalidade de suas instalações, listamos abaixo alguns tipos controle de acesso eletrônico, a fim de ajudar na escolha mais adequada para cada projeto. Confira!

Biometria

Eficiente, rápido e discreto, o controle de acesso por biometria se utiliza do reconhecimento de características pessoais únicas para a identificação de cada indivíduo. Esse reconhecimento pode ser feito por meio da assimilação facial, de digitais, leitura de íris, de voz ou escrita.

Esse sistema oferece enorme potencial de segurança, pois é praticamente impossível ocorrer falsificações e clonagens. Por isso ele, é um dos mais utilizados no meio corporativo. Outra vantagem do controle de acesso biométrico é o custo de manutenção, que é baixo em comparação a outros tipos de controle.

Leitor por senha

Esse dispositivo de controle também é eficaz, mas exige uma administração mais cuidadosa, sobretudo se for utilizado em empresas, onde geralmente o acesso tende a ser ainda mais restrito.

Isso porque, com o excesso de informações que temos para lidar no dia a dia, podemos acabar esquecendo a senha. Portanto, residências e ambientes corporativos que optam por esse tipo de acesso devem implementar medidas para permitir a renovação das senhas individuais e assegurar que elas realmente serão restritas às pessoas cadastradas.

Leitor facial

Até parece coisa de ficção científica, mas o controle de acesso por leitor facial é só mais um dos avanços que a tecnologia é capaz de proporcionar ao nosso dia a dia.

Esse tipo de controle, também chamado de reconhecimento facial ou biometria facial, funciona por meio de uma série de softwares e logaritmos que mapeiam os diferentes padrões existentes no rosto de cada pessoa.

Esses softwares se utilizam de informações individuais previamente recolhidas pelo sistema — como tamanho dos olhos, nariz e boca; distância entre as orelhas e os olhos; largura dos lábios etc — e, a partir daí, conseguem distinguir com eficácia um rosto do outro. Em termos mais práticos, é como se o leitor facial funcionasse como um quebra-cabeças que recolhe as peças do banco de dados para reconhecer um rosto específico.

Ou seja, cada vez que alguém for passar pela portaria, o programa procurará pelas “peças” no banco de dados disponível. Caso não as encontre, significa que a aquela pessoa não está registrada no sistema e, portanto, não possui permissão para acessar o local.

Cartões magnéticos

O cartão é cadastrado com informações pessoais do portador: nome, identidade, telefone etc. Assim, basta aproximá-lo do visor de leitura para que o acesso seja liberado.

Normalmente, no caso dos visores de leitura, a identificação pode ocorrer também por meio do deslizamento do cartão através de uma fenda no aparelho ou mesmo pela completa inserção do cartão no dispositivo.

O inconveniente desse modelo é que, caso o cartão seja extraviado, ele poderá ser utilizado por qualquer pessoa. Portanto, em caso de perda ou roubo, o ideal é bloqueá-lo imediatamente.

Portaria remota

Esse modelo de controle oferece muitos benefícios, dentre eles a possibilidade de ser comandado à distância. Esse tipo monitoramento é feito por câmeras, que enviam as imagens para uma central, onde uma pessoa é responsável pode liberar o acesso por meio de dispositivos próprios.

Por isso, os controles de acesso por portaria remota também saem na frente no quesito praticidade, já que todo o processo comunicativo entre o visitante o responsável pela autorização de sua entrada é regulado através das funcionalidades dos softwares inteligentes.

Esses equipamentos conectados com a internet são muito eficientes e podem ser acessados de qualquer lugar, além da possibilidade de direcionar o monitoramento para locais estratégicos, o que garante enorme potencial de segurança no controle de acesso.

Para além da instalação da portaria remota em ambientes corporativos, ressaltamos também as vantagens desse tipo de controle de acesso em áreas residenciais ou condomínios, sobretudo aqueles que não possuem porteiros fixos.

Nesses casos, a redução de custos condominais é outro ponto positivo, já que o sistema central da portaria remota é capaz de administrar várias entradas simultaneamente, excluindo a necessidade de se investir em manutenção ou contratação de funcionários para as demais portarias ao longo do condomínio.

Enfim, os tipos de controle de acesso eletrônicos estão cada vez mais modernos e eficientes. Portanto, vale a pena ficar atento às novas tecnologias oferecidas. Afinal, todos querem a tranquilidade de ter o seu patrimônio protegido, não é mesmo?

Ao disponibilizar esse diferencial em seus projetos, você mostrará que é um profissional antenado, inovador e disposto a investir em projetos personalizados conforme as necessidades exatas de seu cliente.

Assim, sem dúvidas, você conquistará cada vez mais o mercado das soluções arquitetônicas modernas e inteligentes, tanto para residências quanto para ambientes corporativos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *